Terceirização de frota gera economia de até 30% para empresas

Com a crise, companhias apostam em locação para reduzir custos e evitar desgastes com manutenção e desvalorização



Desde que a crise econômica se instalou no Brasil, o mercado corporativo vem buscando alternativas para reduzir custos e otimizar serviços. Uma das medidas é a terceirização de frota. Os gastos com veículos, em geral usados para o deslocamento de colaboradores, vendas, prestação de serviços e entrega de produtos, são muito altos, não só pelo valor da compra dos carros, mas também pelos custos embutidos, como impostos, taxas obrigatórias, seguros, manutenção, entre outros.



“O primeiro custo que o veículo gera é o valor da compra. Depois, vêm os juros, em caso de financiamentos, a depreciação, já que o carro já sai da concessionária valendo menos, e em seguida taxas como emplacamento, seguro, IPVA (Imposto Sobre Veículos Automotores), licenciamento, manutenção e outros custos que são altos e ficam cada vez maiores com o desgaste do veículo. Até a energia dos colaboradores empregada no cuidado com esse bem tem um custo para a companhia, já que eles poderiam usar esse tempo concentrados em outras prioridades”, explica Helio Borenstein II, diretor-financeiro do Grupo Marbor.



Com a terceirização da frota, a locadora contratada fica com toda a parte burocrática, sendo responsável pelo pagamento de todas as taxas, manutenções preventivas e em manter os veículos sempre em ordem. “As empresas passam a não ter mais de se preocupar com isso. Por um valor até 30% mais baixo, elas apenas indicam o tipo de uso do veículo (finalidade, perfil dos lugares por onde passa, tipo de ocupação etc.) para que um especialista da locadora possa indicar o melhor modelo e todo o resto já está incluído, até administração de multas e outros assuntos considerados chatos e que fazem parte da rotina de quem utiliza carros”.



As locadoras contam, ainda, com recursos tecnológicos que podem ajudar no controle do uso de cada veículo, como a telemetria, uma ferramenta que mostra por onde os carros passaram, a que velocidade, se o ar-condicionado ou o limpador de para-brisa foi ou não ligado, quanto tempo eles ficaram parados e todos os outros detalhes.



Segundo Borenstein II, por questões culturais, de que os carros são patrimônio da empresa, muitos empresários ainda insistem em manter uma frota própria, o que aumenta muito os custos. “Ter veículos próprios é deixar de economizar uma quantia significativa. Basta testar para comprovar. Quem terceiriza, nunca mais volta a ter carros próprios, porque do ponto de vista econômico e de eficiência, realmente não faz sentido”.



 



Fonte: KG Comunicação Corporativa



Deixe Seu Comentario

Envie seu comentario e aguarde pela aprovação de nossos Administradores